12 dezembro 2006

A não perder....


Integrada nas Comemorações dos 50 anos da Fundação Calouste Gulbenkian, está patente até ao dia 14 de Janeiro de 2007 a exposição Amadeo de Souza-Cardoso - Diálogo de Vanguardas.
Trata-se de uma exposição notável, que reúne a maior mostra de pintura alguma vez realizada sobre o trabalho do pintor de Amarante, assim como de 36 artistas estrangeiros seus contemporâneos, com obras oriundas de inúmeros museus internacionais e colecções privadas, entre os quais Modigliani, Sonia e Robert Delaunay, Malévitch, Brancusi, Olga Rozanova ou Pablo Picasso.
A mostra que conta com 190 pinturas e desenhos do artista português, abrange todo o período de produção de Amadeo, entre 1908 e 1918, e conta com o Alto Patrocínio da Comissão Europeia.
Estão de parabéns os organizadores pela qualidade e quantidade de obras reunidas, algumas delas inéditas como é o caso dos 20 desenhos realizados em 1912 para o livro de Flaubert- La légende de Saint Julien l’Hospitalier.
A visita a esta exposição, considerada já a mais visitada de sempre, permite a compreensão do excepcional trabalho deste percursor do cubismo, que fez igualmente incurssões no impressionismo e no expressionismo, e que embora tardiamente reconhecido, é um dos mais notáveis pintores portugueses do Séc. XX e um dos mais emblemáticos modernistas europeus.
Nascido em 1887 , iniciou-se como caricaturista, partindo aos 19 anos para Paris onde reside até ao eclodir da Grande Guerra. Depois de participar numa exposição nos Estados Unidos, em 1913, voltou a Portugal, onde teve a ousadia de realizar duas exposições, respectivamente no Porto e em Lisboa, causando escândalo entre os seus compatriotas. Amadeo morre permaturamente aos 31 anos vítima de pneumonia, contudo, a sua produção, de apenas 10 anos, é hoje um legado inestimável. Fernando Pessoa e Almada Negreiros, seus contemporâneos, reconheceram-lhe cedo o talento e a mestria, afirmando que Amadeo era "a primeira descoberta dos portugueses no séc. XX" . Uma descoberta que nos cabe hoje redescobrir.

Parabéns à Gulbenkian, na data do seu jubileu, por um contributo inegualável e ininterrupto de 50 anos à Cultura, à Língua, aos Artistas, à Arte e ao Património Português.
Bem hajam!

15 comentários:

DRS disse...

Uma exposição a não perder e um post à altura!

marcela castro disse...

no tengo idea quien es el pintor, es el primer cuadro que veo, pero si me gusto el post, aunque no el cuadro

PBH disse...

Agradeço os comentários ao "post".
Cara Marcela, estou seguro de que gostará de alguma coisa da imensa obra deste jovem pintor português.
É de uma notabilidade rara e de um talento pleno de mestria.
Vá por ele...

marcela castro disse...

PBH, la imagen puesta me recuerda a un retrato de Vicente Huidobro hecho por Picasso. Voy a buscar algunas imagenes, porque de verdad me gusto el post y tal vez encuentre alguna imagen que me guste, como dices. Asi llegue a Eca de Queiroz, leyendo un articulo

DRS disse...

Cara Marcela,

Uma excelente forma de chegar a Eça de Queiroz é através de Machado de Assis (que não lhe era de todo inferior, aliás). Se não conhece, experimente começar pelo gigante (brasileiro) das letras lusas. Entre outras coisas, foi um magnífico e profícuo contista.

rm disse...

É sem dúvida uma exposição imperdível e provavelmente irrepetível que conto visitar na minha próxima viagem a Lisboa. E para esta primeira visita ao blog, este post não podia estar melhor posicionado... mas vejo, na diagonal, que há muito mais para ler e outro tanto para rebater, assim o tempo o permita. Até breve!

marcela castro disse...

Que lindo es el cuadro de Simão César Dórdio Gomes "Pont du Carroussel"!!!! Es que buscando cuadros de Amadeo de Souza-Cardoso, como PBH me sugirio (me gusto "Canção Popular a Russa e o Fígaro") encontre una pagina donde hay imagenes de pintores portugueses. Y me encanto el Pont du Carroussel. ¿Donde queda?

PBH, soy mas seguidora de pintores como José Malhoa, que lindo son sus cuadros "Outono" y "O Fado"!!!

Voy a buscar a Machado de Assis, DRS, gracias por la sugerencia. Claro, primero tengo que encontrar el SSG nº94 sobre operaciones de paz. Pero seguro que buscando a Machado encuentro otra pagina de comics, como me a ocurrido todo este mes.

DRS disse...

Cara Marcela,

Experimente procurar por Machado de Assis na página da Academia Brasileira de Letras , aliás, por ele fundada. Pena é que esse grémio ilustre acolha hoje no seu seio aquele charlatão do Paulo Coelho. Enfim...

marcela castro disse...

Es que Brasil ya no es lo que era. Ese pais si que deberia pensar en volver a la monarquia,con Doña Beija incluida.

DRS,recomiendame un libro de Machado y avisame antes si muere alguien. Porque cuando lei Os Maias me pillo de sorpresa la muerte de Pedro Maia y me dio tanta pena que llore mucho. Así que no vuelvo a pasar por eso.

ASD disse...

Não irei perder certamente!
Já agora alguém conhece o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso em Amarante? Só conheço a igreja do convento dominicano de S. Gonçalo, no qual está instalado o dito museu. Na próxima vez que for a Amarante terei de preencher essa lacuna. Pelo que li e ouvi o museu deve valer a pena, mas não há nada como experimentar e depois formular uma opinião própria.
Entretanto o destino mais imediato é o CAMJAP da FCG e a exposição "Amadeo de Souza-Cardoso. Diálogo de Vanguardas."
Não percam mesmo! Certo tia Caetana? Para enriquecer e fortalecer o seu MC!

PBH disse...

Cara Marcela
Eu suponho que o quadro do Dórdio Gomes de que fala "Pont du Carrousel" se ancontra no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, contudo não estou seguro.
Já a obra de Amadeo " Canção Popular a Russa e o Figaro" está patente na actual exposição, sem que eu saiba a que espólio pertence, mas muito provavelmente pertence ao mesmo Centro de arte Moderna.

DRS disse...

Cara Marcela,

Recomendo-lhe "As Memórias Póstumas de Brás Cubas" e "Quincas Borba" (o segundo continua a o primeiro). Têm mortes, mas são do melhor que já se escreveu nas literaturas lusófona e latino-americana.

marcela castro disse...

Gracias DRS. Voy a buscarlos. Es que la unica muerte de novela que me hizo feliz fue la de ese miserable de Julian Sorel,el de Rojo y Negro.
PBH, ni idea de donde estara el cuadro. No tengo idea de museos portugueses. Solo se que estaba la imagen y me gusto mucho. ¿donde queda el puente?

PBH disse...

Cara Marcela
A Ponte representada no quadro está em Paris. O quadro, tal como lhe disse, pertence provavelmente ao espólio do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa.

marcela castro disse...

Gracias PBH