24 junho 2007

Novo Museu num "Velho" Espaço em Lisboa

Abre amanhã ao público, numa festa "24 horas non-stop", o Museu Colecção Berardo. De acesso gratuito ao público em geral... nessas 24 horas! Mas também permanentemente gratuita aos domingos, a menores de 18 anos e em Julho e Agosto, às 6ª feiras e sábados das 18h às 22h. O melhor é mesmo consultar o tarifário, pois ainda há mais entradas gratuitas e descontos!
Grande parte da colecção de Joe Berardo (ou da sua fundação) de arte contemporânea (e não só) vai ocupar o centro de exposições do CCB. Após a polémica em torno do acordo, aliás já comentado aqui na Gazeta, entre esta fundação privada e o Estado Português surge o mais recente espaço museológico da cidade de Lisboa. A qualidade artística e o valor cultural da colecção só a alguns suscitam dúvidas. É, efectivamente, uma colecção, nomeadamente a de arte contemporânea, transversal aos principais movimentos artísticos que marcaram o século XX e de dimensão verdadeiramente internacional.
Polémicas à parte, vem enriquecer o parque museológico lisboeta e o panorama cultural da cidade. Os lisboetas e os visitantes desta urbe à beira Tejo plantada podem assim usufruir e fruir tão vasta e rica colecção de pintura, escultura, instalação e outras formas de expressão artística tão ecléticas e inovadoras. Espero que venha a ser um contributo de peso para uma melhoria na articulação entre turismo e cultura e que coloque, com um outro destaque, Lisboa na rota do turismo cultural e de qualidade em termos internacionais.

Boa visita!

21 junho 2007

O Demagogo...


Manuel Monteiro, líder do PND, não perde oportunidade de tentar brilhar e criar situações inauditas para receber atenção por parte dos média e dos eleitores. O candidato à CML bate todos os recordes de demagogia esta semana em que nos resolveu brindar com três polémicas inúteis e breves.
A primeira diz respeito à suposta venda em Feiras Internacionais de terrenos em Lisboa destinados à Habitação Social por parte da EPUL. Rapidamente foi desmentido e o Presidente da dita instituição veio a público explicar o teor dessas participações da empresa pública. Manuel Monteiro ao saber da existência de maquetes nos stands deduziu que se estava a proceder a vendas de terrenos. Informou-se mal...e fez má figura.
Ontem acusou em alto e bom som, o Ministro dos Negócios Estrangeiros de «tachismo», só a expressão é reveladora do calibre do orador, por ter nomeado um embaixador para as Sheychelles. O que o dr. Manuel Monteiro não sabe é que Portugal tem embaixador nas Sheychelles como tem em todos os países do mundo, só que esses embaixadores não são residentes. Existe uma diferença inequívoca entre ambas, mas mais uma vez, informou-se mal e fez má figura. Ele e o jornal "Público" que sem se informar publicou a notícia e hoje veio pedir desculpas e acusar Monteiro de falta de informação. A lata...
Por fim, Manuel Monteiro brinda-nos com um espetáculo público no Chiado em que, por meio de um actor insular, resolveu fazer sátira. O actor representava o papel de "candidato a assessor da CML". O Dr. Manuel Monteiro brinca com coisas sérias, ele e muitos outros. Agora resolveu-se banalizar o papel do assesssor. É mais uma banalização que vem contribuir para desprestigiar a política e os políticos, mas é pena. O lugar de assessor é um lugar de trabalho sério e de responsabilidade em todos os orgãos da administração pública. Brincar com esta matéria é brincar com centenas de funcionários que todos os dias dão o seu melhor para o regular e eficaz funcionamento do aparelho do Estado.
O dr. Manuel Monteiro, além de mal informado, torna-se por auto-criação o rosto da demagogia a que chegaram certos sectores da política portuguesa. Seria bom que desaparecesse e se dedicasse a qualquer outra coisa que não a politica.
Esperemos que o PND não eleja um único vereador e sobretudo que o dr. Manuel Monteiro não nos obrigue a escutar mais barbaridades durante os proximos dias de campanha!

Portela + 1

O PS rejeitou ontem, na Assembleia da República a possibilidade de, no âmbito do novo aeroporto, ser estudada a hipótese "Portela+1". Toda a oposição votou a favor.

Se dúvidas houvesse da má fé do Governo nesta questão, elas estão dissipadas. Por que razão o Governo não aceita sequer estudar essa hipótese? Segundo João Soares, que é insuspeito de ser anti-governo, a afirmação de que a Portela estará esgotada a curto prazo é pura e simplesmente mentira. Vários especialistas dizem aliás o mesmo. Porquê esta teimosia do executivo em rejeitar esta possibilidade?

Resta-nos a esperança de ver brevemente o Ministro Mário Lino a dizer que a Portela é um mini-deserto, e que "Portela+1" jamais! É sinal de que a curto prazo se estudará a hipótese...

20 junho 2007

Putin: a ostra fechada


Vladmir Putin recebeu um prémio alemão denominado "Ostra Fechada". É organizado pela Netzwerk Recherche e foi a primeira vez que foi atribuido a um não alemão. Tem como objectivo chamar a atenção para situações e personalidades que criam barreiras à liberdade de imprensa. Durante o mandato de Putin já foram assassinados 14 jornalistas, incluindo Anna Politkovskaya cuja morte ainda está por esclarecer.




A Rússia é uma democracia, felizmente longe dos tempos de Estaline. Mas em certas práticas estará assim tão longe? É uma democracia mas é mesmo uma democracia? Sem uma Liberdade plena, ou seja, universal e responsável, não há verdadeira democracia. Haverá então tão poucas democracias no mundo? Em bom rigor, é Portugal uma democracia? A democracia como sistema político e modelo de sociedade criado e praticado pelo Homem nunca será perfeita é certo. Mas quais as diferenças entre uma democracia muito imperfeita e uma autarcia? Porventura as fronteiras são ténues. Uma coisa julgo ser ponto assente, com meias democracias ou autarcias com pele de democracia dificilmente se chegará à mais preciosa das pérolas: a Liberdade.

19 junho 2007

A agenda de Sócrates

José Sócrates tem tempo para fazer campanha em Lisboa, mas já não tem quando é para ir à tomada de posse do Governo Regional da Madeira.

Assim vai a agenda do Primeiro-Ministro...

18 junho 2007

Ainda o aeroporto...

Continua a ouvir-se falar da localização do aeroporto como centro deste debate. Passámos a estar perante um governo disponível e aberto ao diálogo nesta matéria. Afinal a Ota pode não ser a melhor solução... Espero sinceramente que a aceitação do estudo sobre a localização em Alcochete não seja uma manobra de diversão do governo para se revelar dialogante e não dogmático na questão da localização e passados os ditos seis meses decidir pela Ota, sem um debate sério baseado em estudos comparativos rigorosos. E espero também que o estudo "Alcochete" aborde a questão em termos da tipologia aeroportuária mais adequada e daí a consequência ter sido o seu posicionamento na região de Alcochete. Se assim for mantenho os votos de felicitação pela realização do estudo pela CIP. Um grupo de empresários tais como Carlos Barbosa, Joe Berardo, Alexandre Patrício Gouveia financiaram este estudo. Garantem não ter quaisquer interesses económicos ou patrimoniais na zona. Se assim for é mais um contributo positivo da sociedade civil para esta discussão, sem lugar a polémicas inúteis e a questões mesquinhas.
Será que passará a estar em cima da mesa e em posição central o tipo de aeroporto que melhor servirá os interesses do país, em concreto da região de Lisboa ( a norte, a sul, a este e a oeste! e a cidade de Lisboa em si já agora!). Interesses estratégicos e relevantes como o ambiente e ordenamento do território, o turismo, a utilização geo-estratégica, entre outros factores que os especialistas apontam mas que de pouco têm servido enquanto elementos determinantes neste debate. A relação entre todos estes aspectos com os custos da obra deve ditar uma decisão mais ponderada e adequada (incluindo naturalmente a localização).
A decisão política deve ser suportada por argumentos de ordem técnica. Penso que todos concordarão. Concordará o governo? Será essa a realidade futura? Lets wait and see... (o jamais já passou a peut-être por isso...)

Onda azul em França (2)

Não foi com a dimensão que se esperava, mas ainda assim uma vitória clara da UMP e de Sarkozy.
Começou um novo ciclo em França...

15 junho 2007

Valley Park...


Em Setembro do ano passado, o ministro da Saúde, Correia de Campos, disse à agência Lusa que o governo estava a procurar um terreno em Lisboa ou fora da cidade para transferir o Instituto Português de Oncologia e justificou a mudança com as limitações físicas do actual edifício, junto à Praça de Espanha. Nada mais se soube, e o assunto seguiu os trâmites habituais.
Na semana passada, o astuto Presidente de Oeiras, Isaltino Morais, anuncia, aparentemente sem conselho governamental, ter recebido uma «resposta favorável» do Governo quanto ao projecto das novas instalações do IPO em Barcarena, num terreno de 12,5 milhões a ser adquirido pela autarquia.
A polémica desde logo se instalou, nomeadamente junto dos candidatos à CML que logo vieram defender em uníssono a necessidade de manutenção daquela unidade hospitalar na Capital.
Entretanto, Isaltino acusa os candidatos de «incapacidade e fraca ambição» porque «manifestaram preocupações sem sentido». Afinal Oeiras pertence à Área Metropolitana de Lisboa.
Enquanto estes acontecimentos se desenrolam ao longo da Av. Marginal, eis que um outro autarca, mais jovem mas nem por isso menos astuto, decide também ele apresentar publicamente a disponibilização de um terreno para a construção do novo IPO.
Paulo Caldas, Presidente da Câmara Municipal do Cartaxo informou a agência Lusa, logo na sexta-feira, «que ainda hoje fará chegar ao ministro da Saúde uma missiva dando conta da disponibilidade do seu concelho para acolher as novas instalações do IPO, tendo em conta que o processo está ainda «em fase de decisão» no Ministério.
Estranha-se que uma preocupação manifestada pelo Ministério da Saúde há um ano seja agora alvo de tantas e tão rápidas manifestações de interesse!
Mas a explicação pode até nem ser complexa.
Segundo o autarca, ao contrário de Oeiras, que se disponibilizou para adquirir um terreno para instalar o IPO, a autarquia cartaxense pode disponibilizar 12 hectares de terreno de forma quase imediata, se o projecto for considerado de interesse nacional, permitindo ultrapassar a burocracia na aprovação do projecto Valley Parque. O terreno em causa insere-se nos 15 hectares destinados à instalação de um «parque de ciência e tecnologia» de uma área de 130 hectares cujo plano de pormenor se encontra em análise na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, explicou. O Valley Parque, que tem parte dos terrenos já adquiridos, inclui ainda uma área residencial (40 hectares), uma área para instalação de indústrias e serviços (60 hectares) e espaço para instalação de uma sede e serviços sociais e de apoio.
Será ingenuidade do edil ou sou eu que não compreendo bem as explicações de Paulo Caldas?
A sua oferta «gratuita» de um terreno para a instalação do IPO "pode ser imediata se o projecto for considerado de interesse nacional"? Qual projecto? O do IPO ou do seu Valley Park? É que o IPO só necessita de 12 hectares, e o Valley Park tem 130. Terá em mente o edil cartaxense ultrapassar as dificuldades administrativas na aprovação do seu projecto magalómano atraindo o IPO para o Concelho?
A ideia não está mal pensada não senhor!!
Esperemos, contudo, que o IPO não se instale a 60 km de Lisboa e que se mantenha na Capital e que o Dr. Caldas cumpra a lei sem muitas ideias originais, sob pena de um dia ir parar a um qualquer Valley por ordem do Tribunal!

Menos um...


Luis Paes Antunes pediu a demissão de Vice-Presidente do PPD/PSD. O antigo Secretário de Estado e responsável no PSD pelas áreas da Saúde e da Segurança Social demite-se, segundo o «expresso on-line» por «divergências de fundo relativamente à forma como a direcção do PSD tem conduzido alguns processos, nomeadamente a crise na Câmara de Lisboa».
É menos um na Direcção do Partido, que se supõe aumentará as fileiras adversárias a Marques Mendes.
Será que a razão de mais uma demissão está na recente sondagem que não dá ao PSD mais que um ou dois vereadores nas próximas eleições intercalares para a CML?
Gaivotas a voar para terra é sinal de tempestade no mar....
Quem acabará borda fora?
A ver vamos!

14 junho 2007

Os velhos dos Marretas


Confesso que já me enerva este filme de 5ª categoria, que mais parece uma "never ending story".


Um, depois de perseguir, prender, quiça matar, arrasta-se agora, mais para lá do que para cá, alimentando a esperança do regresso ao poder.


O outro, é visita regular lá de casa, e de cada vez vai com uma novidade pior. A desta visita é o encerramento de uma televisão privada na Venezuela porque.... lhe apeteceu! E o aviso, em tom de ameaça, à outra estação televisiva privada de que poderia ir pelo mesmo caminho.


Enfim, devem ser essas pequenas alegrias que animam a vida de Fidel e Chávez. O pior é o preço dessa felicidade pago por esses dois povos...


12 junho 2007

Onda azul em França


Projecção do próximo parlamento francês, na sequência da 1ª volta das legislativas

11 junho 2007

Afinal havia outra...



Afinal havia outra localização possivel e exequível para a construção do novo Aeroporto de Lisboa. A CIP prestou um bom serviço ao País e foi entregar em mão ao Chefe de Estado um estudo, encomendado pela própria CIP e que tem a colaboração de uma dezena de professores universitários. A resposta do governo foi imediata e fez-se através de uma pausa ao lançamento do concurso internacional para a OTA. Menos mal. Afinal a decisão não estava tomada irremediávelmente. Mais vale tarde que nunca!
Estranho é que nunca Alcochete tivesse sido equacionado ou estudado como uma alternativa à Portela por nenhum governo. Estranho porque afinal as suas condições geográficas são as melhores, os terrenos são do Estado, está mais perto de Lisboa que qualquer uma das outras localizações apontadas, tem acessos recentes, sem necessidade de grandes alterações (A12, A13, Ponte Vasco da Gama). É verdade que a sua proximidade com os estuários do Tejo e do Sado pode criar algum tipo de constrangimento ambiental, mas segundo o estudo da CIP nenhum deles é irremediável.
A CIP fez bem o trabalho de casa e propôs não uma, mas sim seis alternativas possiveis na mesma região de Alcochete.
Esperemos a decisão política e a análise técnica, com rigor e isenção, a bem do interesse nacional !

10 junho 2007

Oásis na margem sul...


É verdade! Afinal a margem sul não é só deserto como disse o nosso ilustre Ministro das Obras Públicas. Também lá temos um oásis, onde o Presidente da República esteve ontem no âmbito das comemorações do 10 de Junho...

08 junho 2007

Novo visual(2)

A pedido de várias famílias, alterei novamente o visual do Blog...

06 junho 2007

Boas vindas

Desejo ao novo gazeteiro André SD as Boas Vindas a este Blog que necessita de novos textos e novos debates. Seja portanto Bem-Vindo! Cá o aguardo para umas cavaqueiras e umas bengaladas, quando disso for caso!

05 junho 2007

Penitência...(2)

E ainda falta outro, do meu companheiro Luis Cirilo: Depois Falamos

Penitência...

Tenho de me penitenciar aqui, por só hoje ter reparado que há 2 blogs que faltam na nossa lista de links. São eles "o insecto" e o tenho dito".

Não só porque são blogs que eu visito com alguma regularidade, como também exibem a Gazeta Lusitana nos seus links.

A partir de hoje está cumprido o princípio da reciprocidade, e corrigida esta falha.

Novo visual

No pacote das novidades que anunciei recentemente, está também esta mudança de visual.

Espero que também seja do agrado dos nossos visitantes...

Boas vindas

Aqui deixo as boas vindas ao André, com votos de muitos e bons posts.

Em breve, outros cronistas vão aparecer...

Cheguei, vou ver, observar, analisar e contribuir para que Portugal vença

É como muito prazer e honra que inicio a minha participação enquanto gazeteiro residente. Procurarei corresponder e estar à altura deste desafio que me foi colocado. Irei escrever e opiniar enquanto cidadão português e do mundo, lisboeta incansável e pessoa atenta à realidade, com particular incidência em assuntos culturais no seu conceito mais lato. Não invalida, de maneira alguma, a abordagem de temas, assuntos ou factos de outras naturezas. Esta é uma Gazeta onde tudo pode e deve ser discutido, assim continuará no que depender da minha colaboração.
Saudação muito especial aos meus caros amigos e colegas de gazeta e outra igualmente especial aos meus actuais e futuros (espero...) leitores.



P.S. - Declaração de interesses: Monárquico, Conservador Liberal, Ateu e Benfiquista. Sempre que se justificar procurarei intervir com isenção e objectividade, socorrendo-me da minha formação historiográfica. Sempre que se justificar, irei de igual forma, ser parcial e subjectivo. Afinal não é isso (não só mas também) opinar e debater?

Alea Jacta est...


As eleições para a CML aproximam-se. Os candidatos estão definidos desde hoje, com a entrega da última candidatura à edilidade.
Concorrem a estas eleições um número considerável de listas (12) o que é curioso, visto serem estas eleições intercalares. Nenhum partido quis ficar de fora ( CDS/PP, PPD/PSD, PS, CDU, BE, PPM, MPT, MRPP, PND, PNR,) e ainda dois movimentos de independentes - Helena Roseta e Carmona Rodrigues. Podemos dar-nos por felizes, no desejo de que todas estas candidaturas e candidatos produzam ideias e programas que beneficiem a cidade e os lisboetas. Bem precisamos de empenho e de ideias, seriedade e bom senso!
A pré-campanha, contudo, revela já algumas posturas pouco sérias e demasiado politiqueiras, quando aquilo de que necessitamos com urgência é de um debate político sério.
Telmo Correia avança em nome do CDS/PP com poucas possibilidades de ser eleito, assim como qualquer um dos pequenos partidos. CDS/PP e BE correm o risco de ficar de fora do próximo executivo. A quantidade de listas em disputa, nomeadamente as quatro do «Bloco Central» tornam muito dificil, senão emsmo impossível a eleição de vereadores dos partidos limitrofes. A ver vamos. Para já Telmo Correia tem feito uma campanha tranquila e sem grandes ataques pessoais, o que só lhe fica bem depois do CDS ter participado na gestão autárquica dos últimos dois anos. Já José Sá Fernades deveria ser mais discreto. A campanha de que o «Zé faz falta» conduz-me à interrogação: Faz falta a quem? Será que alguém se lembrará de perguntar ao antigo vereador sem pelouro porque necessitava ele de 11 assessores? O grande crítico das despesas da edilidade e dos erros de gestão é o mesmo que conduziu à paragem das obras do túnel do Marquês durante 3 anos, com custos de milhões de euros para a autarquia. Espero que alguém se lembre disto e sobretudo de pedir contas ao Zé!
A CDU mantém-se igual a si mesma. Pede tudo, exige tudo e não faz nada! A cassete do costume que não obriga a grandes raciocinios nem interrogações, quanto muito apenas algumas exclamações. Achava curioso que também a CDU não elegesse nenhum vereador. Seria inédito desde o 25 de Abril e um bom recado aos comunistas e à sua insistência em não adaptarem o discurso politico a 2007.
Fernando Negrão desilude. Homem respeitado e até agora inócuo, consensual no meio político, decidiu vestir a camisola que lhe mandaram. Acabou mal em Setúbal, onde depois de uma quase total ausência das reuniões de Câmara, deixou a cidade sem uma palavra aos seus eleitores, que foram bastantes! Chegou a Lisboa mal também. Atacou de forma vil o anterior Presidente Carmona Rodrigues, esquecendo-se o deputado de que o Partido e os vereadores que o acompanharam e elegeram, são os mesmos que agora lidera. Fica-lhe mal, muito mal. E fica mal também, que depois dessas cr´ticas violentas e sem sentido, inclua na sua lista dois antigos vereadores de Carmona, Lippari e António Prôa. Erro crasso que lhe valeu a quase desistência da sua mandatária Manuela Ferreira Leite, e a crítica generalizada dos comentadores da praça. Não vai longe!
Helena Roseta igual a si mesma, já falou na criação de um Comité de Salvação da Cidade. A romântica eterna julga que ainda estamos no PREC. Ao menos é sincera e sobretudo tem feito uma campanha limpa, sem ataques pessoais e apresentando propostas. Disparatadas algumas, mas ainda assim!
António Costa está em grande. As sondagens dão-lhe a vitória certa. Até agora nada de novo. Nem mesmo relativamente à OTA. Quando todos os candidatos clamam pela manutenção da Portela, Costa defende o seu desaparecimento. Vamos ver que resultado lhe traz a defesa dos interesses do governo central que acabou de abandonar. Foi para isso que o fizeram candidato, afinal João Soares era contra a OTA e por isso ficou em casa...Ota e Lei da administração local prometem ser os seus dois calcanhares de Aquiles...
Por fim Carmona Rodrigues, o último a entrar na corrida, mas de quem se espera ouvir quase tudo nesta campanha. Tem estado bem. Sem criticas pessoais, sem cartazes, sem marketing. A campanha invisivel, que é também inédita e curiosa,mas que é capaz de dar frutos. Mesmo com o total abandono do PSD conseguiu manter o seu núcleo de apoio e apresentou a sua lista apoiada, tal como há dois anos por um número significativo de artistas e intelectuais da cidade. Anda pelas ruas a falar com as pessoas. E as pessoas têm gostado...
A sorte está lançada. Que vença o melhor e sobretudo que ganhe Lisboa.
A campanha promete. Há muito que não se via uma disputa deste calibre à Capital
Aguardemos!


04 junho 2007

Novidades

Muito em breve teremos várias novidades por estas bandas...