27 abril 2007

Assim se vê a democracia do PC!



"Ninguém chora pela morte dos lacaios. A não ser que, com lágrimas de crocodilo, pretendam os patrões encorajar novos lacaios a servi-los com a mesma perfeição que os defuntos. Vem isto a propósito das lacrimejantes prosas que jornais e televisões, a mando dos seus amos e proprietários, verteram ao anunciarem a morte de Boris Ieltsin." - Leandro Martins, in Avante.


Estes tipos não aprendem! E depois andam com o maior dos descaramentos a passear por Lisboa, de cravo ao peito, a dar vivas à Liberdade!! É de uma hipocrisia sem limites. E ainda estamos, os verdadeiros democratas, à espera que eles peçam desculpa por terem apoiado (e terem saudades) do regime político que mais mortes provocou nos últimos tempos...

26 abril 2007

Pressões

Há 2 autores deste blog que há muito não escrevem.

Será que eles também andam a ser pressionados pelo gabinete do Primeiro-Ministro?

Ainda o Túnel...

Primeira manhã sem congestionamentos


Nas primeiras horas da manhã, o trânsito não tem apresentado problemas nesta nova entrada em Lisboa. Às 9h00, não existia qualquer dificuldade nem na descida de Monsanto, a parte final da A5, nem no viaduto Duarte Pacheco. Também não existiam filas no acesso pela Ponte 25 de Abril.Nas saídas do Túnel do Marquês, as únicas paragens eram ditadas pelos semáforos e as filas não ultrapassavam os dez carros.
(Publicado no Blog Crónicas Alfacinhas)

O Túnel...


A inauguração do novo túnel que faz a ligação entre a Rotunda do Marquês de Pombal e a A5 é uma boa noticia para a cidade de Lisboa. Obra polémica desde o seu início, custou aos lisboetas, mais do que o dinheiro envolvido, três anos de pó e de trânsito. A sua abertura ao público é por isso uma boa noticia.
Devo reconhecer que fiquei impressionado pela dimensão da obra, que em grande parte da sua extensão tem três faixas de rodagem em cada sentido, boa sinalética e iluminação. Não sou engenheiro, mas sou automobilista e não considerei a inclinação que diziam muitissimo acentuada nada de anormal ou de preocupante. Gostei muito e penso ser uma mais valia importante para a cidade, nomeadamente ao nível dos seus acessos e descongetionamento do trânsito cada vez mais caótico.
Felicito por isso a CML na pessoa do seu antigo presidente - Pedro Santana Lopes, por na altura certa ter tomado esta decisão!

25 abril 2007

Obrigado



A este homem devemos o fim efectivo da União Soviética. Para a História ficará também o seu papel primordial na luta contra o golpe comunista de 1991 que mais não queria do que voltar à ortodoxia vermelha de outros tempos.

Extraordinária foi a reacção do PCP pela voz do camarada Jerónimo. Excusando-se a fazer grandes comentários pois fica mal atacar os mortos, percebeu-se que o PC português ainda hoje chora a queda de um dos regimes mais criminosos que o mundo já viu...

24 abril 2007

A Blindagem II

Em continuação do Post anterior, decidi voltar a escrever sobre o tema da blindagem.
Os acontecimentos das últimas semanas falam por si. A imagem do Primeiro-ministro de Portugal está inequivocamente ameaçada. Apesar disso, a blindagem não terminou.
Continuamos sem ver debate sobre as opções do Ministro das Finanças e surgem dúvidas quanto aos relatórios apresentados pelo Banco de Portugal, coisa que até então nunca se tinha posto em causa!
A Ministra da Cultura continua na Ajuda e não se prevê que de lá saia. O Ministro Mariano Gago também. Não só não explica convenientemente as razões que o levam a decretar o encerramento compulsivo da Universidade Independente, como também ainda não explicou a questão do MIT e da demissão em bloco da Comissão encarregada de elaborar o Plano Tecnológico.
O Ministro da Economia, apesar dos números preocupantes e das opções duvidosas também não dá sinais de melhora. O Ministro das Obras Públicas Mário Lino ainda não veio a público explicar a opção OTA. As questões são muitas e o debate público é pobre.
As atenções têm estado concentradas na figura de José Sócrates, que, já se percebeu, perdeu a imunidade na comunicação social.
Portugal assume dentro de dois meses a enorme responsabilidade da Presidência da UE. É lamentável que a nível interno o caos se sobreponha. Quero acreditar que durante os seis meses da Presidência o clima abrande e Portugal cumpra com o seu papel como lhe é exigido e com a qualidade a que habituou os seus parceiros no desempenho de tais funções.
É imperativo, contudo, que o país fique esclarecido sobre as matérias em que está envolvido o PM e que o ligam à Universidade Independente.
Como cidadão não me importo de esperar por Dezembro e pelo fim da Presidência. Não esquecerei o tema apesar disso. Espero que os jornais e os tribunais também não!

14 abril 2007

O Governo da mentira...

Não é meu hábito reproduzir posts de outros blogues aqui. Mas desta vez vai ter que ser. Vale a pena.

A minha alma está parva!...

Como ando com as leituras atrasadas, só agora li no último Expresso que, de acordo com informações prestadas pelo próprio Ministério das Finanças, as “receitas extraordinárias” de 2006 ascenderam a mais de 2.121 milhões de euros, a saber: antecipação de impostos sobre o tabaco(300 milhões), vendas de património(439 milhões), dividendos extraordinários e antecipados(REN-60 milhões), dividendos extraordinários (GALP-124 milhões), recuperações de créditos líquidas de adicionais da operação de titularização(1.198 milhões). Estas receitas extraordinárias equivalem a 1,4% do PIB!...Não fossem essas receitas extraordinárias, que Sócrates e os Socialistas tanto criticaram a Manuela Ferreira Leite, e o défice de 2006 seria 8.176 milhões de euros, correspondentes não a 3,9%, mas a 5,3% do PIB. Este valor é superior ao valor apurado para 2004, era Bagão Félix Ministro das Finanças, que foi de 5,2% (2,9% com receitas extraordinárias)!...Perante este quadro, e por muito que custe à propaganda e comentadores oficiais, conclui-se que não melhorámos nada em relação a 2004, o que até a mim me espantou, e que o progresso no défice não se deveu à contenção da despesa.A segunda conclusão, já a sabia; quanto à primeira, a minha alma ficou parva!...

11 abril 2007

Atentados em Argel


Hoje de manhã ocorreram 2 atentados em Argel. Um junto ao aeroporto, outro junto ao gabinete do Primeiro-Ministro, no centro da capital. Estimativas até ao momento apontam para cerca de 17 mortos e para cima de 60 feridos.
Aqui, em minha casa, consegui ouvir o barulho de uma das explosões. Confesso que era uma experiência que não estava à espera de viver, nomeadamente apenas 3 semanas depois de cá ter chegado...

04 abril 2007

O Blindado em acção...



Em complemento ao anterior post do PBH, reproduzo na íntegra um post publicado no blog "lisboalisboa2", que ilustra bem as relações perigosas entre este Governo e a Comunicação Social...

'Expresso’ não poupa o Primeiro-Ministro

As teses do ‘Expresso’ são três:
1ª – Sócrates quer controlar a comunicação social. E manda telefonar e telefona.
2ª – Sócrates coloca na banca amigos para controlar ainda mais domínios da vida portuguesa.
3ª – Há dúvidas e irregularidades no processo académico do PM na Independente (um problema que, segundo alguns jornais, está a preocupar alguns socialistas).

Aqui, hoje, interessa-me essencialmente a 1ª tese. De resto, e para todas estas teses, ver o ‘Expresso’, edição impressa. Páginas 2 e 3 (controlar, controlar, controlar) e ainda 10 e 11 (o curso do PM na Independente).

Testemunhos em directo:

1.Licenciatura- Sarsfield Cabral diz que ligaram «várias vezes» do gabinete de Sócrates para ele e para a redacção. O ‘Expresso’ diz que a partir daí deixou de haver referências à notícia. Estava-se a 22. O ‘Público’ tinha referido a dúvida sobre o curso. A RR estava a noticiar isso mesmo.- Ricardo Costa conta que na véspera da divulgação (portanto, a 21 de Março), houve logo telefonemas do gabinete de JS a dizer que aquilo não era notícia.- José Manuel Fernandes assegura que o facto de só a RR ter referido o tema se deve aos contactos afanosos dos membros do gabinete do PM para as rádios.- O ‘Expresso’ apurou que, enquanto durou a investigação, o próprio JS terá ligado pelo menos seis vezes para o jornalista do ‘Público’ que estava a investigar o assunto.

2.Incêndios- Ricardo Costa, que, ficámos a saber, trata por tu o PM, conta que quando JS estava de férias algures fora do país que estava a arder, isso foi notícia na SIC. «O PM ficou furibundo e telefonou-me directamente», diz R. Costa.

3.Em geral- José Manuel Fernandes diz que está farto de ouvir nos aviões, da boca do próprio PM, «bocas» sobre notícias que não lhe agradaram.

03 abril 2007

A Blindagem


Em tempos prometi a um leitor deste Blog que escreveria um "Post" sobre aquilo que eu considerava ser a "blindagem deste governo". A ocasião do recente escândalo que envolve o nome do Primeiro-ministro José Sócrates e a Universidade Independente afigurou-se-me a ocasião ideal para o escrever.
Quando utilizei o termo «blindagem» referia-me ao facto de a comunicação social portuguesa de uma forma geral ignorar desde há dois anos a esta parte inúmeras polémicas, indecisões, más decisões, conflitos e más práticas governativas que o actual governo protagonizou. Sabemos todos que a prática política, nomeadamente a governativa, tem normalmente uma relação tensa com a imprensa. É natural, que uma vez ganhas as eleições por um qualquer partido, por maior que seja a sua representatividade, a comunicação social, e o país em geral, passem a focar a sua atenção nos novos ocupantes dos cargos governativos e nas suas políticas. É natural e é normal que assim suceda.
Se nos primeiros tempos isso acontece menos também é natural, vive-se aquilo a que se considerou designar «período de graça».. O que desde há uns bons meses a esta parte me começou a preocupar é que o «estado de graça» se mantinha indefinidamente. Dirão os meus amigos socialistas que isso se deve ao simples facto de o governo estar a governar bem e não haver por isso razões para polémicas nem desagravos.
Acontece porém, que na atenção que vou dispensando ao país e à política não encontro razão para a manutenção desse status quo.
Todos os governos têm ministros mais competentes que outros. Mais simpáticos, mais visiveis, mais polémicos, e isso é o normal em democracia. Mas este governo, estranhamente, parece ter apenas ministros de excelência, mesmo que se chamem Mariano Gago, Correia de Campos, Maria da Lurdes Rodrigues, Isabel Pires de Lima ou Manuel Pinho.
Depois de muito pensar no assunto penso ter descoberto a razão. A razão é simples e clara curiosamente. O governo liderado por José Sócrates conseguiu a proeza que inúmeros governos antes de si nunca tinham conseguido, criar e fazer funcionar uma agência de comunicação e informação do governo. Significa isto, que através de um muito profissional trabalho junto da comunicação social, o governo foi conseguindo manobrar a seu favor um conjunto muito significativo de informações. À primeira vista parece estranho e até dificil de se conceber que a comunicação social se sujeitasse a tais investidas, afinal a derrocada do governo de Santana Lopes, para aqueles que anda se recordam dos factos, começou precisamente quando o governo de então sugeriu a criação de uma central de comunicação. Caíu o Carmo e a Trindade, e o Marcelo também! Era a censura que aí vinha, era a manipulação, era o abuso de poder, era a afronta maior à democracia. Pois foi! Foi tanto que o governo caíu. O Governo novo, contudo, não perdeu tempo e recuperou o projecto e fê-lo de forma tão profissional que sobre a matéria não se escreveu uma linha.
Não se escreveu até à semana passada! De repente uma derrocada impossível de conter abate-se sobre a figura do próprio Primeiro-ministro. Algo falhou na comunicação. Os jornais não falam de outra coisa senão na hipotética equivalência ao grau de licenciatura feita por José Sócrates na Universidade Independente. A história vem a palco em pleno processo de encerramento compulsivo da UI decretada pelo Ministério da Ciência de Mariano Gago. Os jornalistas incomodam-se, os directores de jornais dizem que não sabiam de nada e a história, pouco a pouco vai saindo cá para fora. Afinal toda a gente sabia!
O jornal Expresso diz que já tinha conhecimento da história há um mês, mas foi o Público que lançou a manchete obrigando o Expresso na semana seguinte a fazer mesmo. No dia da noticia RTP e TVI nem sequer abordam o assunto, excepção feita à SIC , mas a notícia que se queria discreta deixa de o ser e la nave va...
Se dúvidas houvesse o Expreso desta semana acabou com elas. O Primeiro-ministro falou seis vezes directamente ao jornalista do Público que escreve o artigo, os documentos vistos pelo Expresso estão guardados na posse do Reitor da UI Luis Arouca que entretanto é demitido. A UI recebe um ultimatum para nomear novo Conselho Directivo sob pena de encerrar compulsivamente, os assessores do gabinete do PM desfazem-se em comunicados e la nave va...
De uma penada ficamos a saber que o PM fala directamente e por telefone aos jornalistas e que alguns directores de jornais, que consideravam a história sem interesse, de repente fazem dela manchete!
O artigo vai longo e seguramente terá continuidade. Serve este artigo de introdução ao tema da "Blindagem" que por este andar está a perder o aço.