28 novembro 2006

Cada tiro, cada melro II


A Senhora Ministra da Cultura decidiu reduzir as verbas atribuidas ao Centro Cultural de Belém em 7,5% (600.000 Eur.) Como resultado imediato, o presidente Mega Ferreira anunciou o fim da Festa da Música. O festival, um dos mais populares e bem conseguidos eventos produzidos anualmente pelo CCB, desaparece assim do cartaz de programação, cada vez mais reduzido.
A Sra. Pires de Lima prometeu, contudo, ao presidente do conselho de administação não subir o financiamento, mas também não o reduzir. Podemos descansar portanto!!
O fim da Festa da Música, que contava já com 8 edições, não fez acabar, apesar de tudo, com o protocolo entre o CCB e a CML, que prevêm como substituição a criação de um fim-de-semana cultural, denominado "Dias da música em Belém".
Não admira que a Sra. Ministra ande sem dinheiro, depois das reduções que o OE 2007 impôs ao seu ministério e que ela não soube defender. Apesar de tudo, sobram ainda 1.000.000 Eur para comprar umas peças para enriquecer a colecção da Fundação Berardo que deve estar a chegar a Belém, mais dia , menos dia.
O CCB que tinha ficado reduzido aos auditórios e aos foyers, pode, por este andar começar a pensar em alugá-los à Castelo Lopes ou à Lusomundo, porque não? A sigla até pode manter-se e não se estragam duas casas!
A Sra. Pires de Lima continua a fazer tiro ao alvo, cada vez com pior pontaria. Espera-se a todo o momento o efeito de ricochete.

6 comentários:

ASD disse...

A Senhora Ministra tantos tiros nos pés dá que há-de cair, nem precisa de um empurrão...
Profª. Doutora Isabel Pires de Lima, volte à FLUP, volte aos estudos queirosianos, eles precisam de si e nós todos precisamos de si fora do Palácio da Ajuda. Resta ver quem é o senhor ou senhora que se segue...

ASD

DRS disse...

A sanha inquebrantável do meu caro PBH contra a Senhora Ministra da Cultura começa a raiar a obsessão. A crítica começa a afastar-se do concreto e acusação de atirar aos próprios pés - expressão estafada, que deveria confinar-se à oralidade - começa a semelhar-se ao "bater em mortos".
A Senhora Ministra viu o orçamento para 2007 reduzido - assim como a maioria dos seus colegas. Que deveria fazer? Onde cortar? Antevejo a resposta pronta do PBH: «No milhão de euros que está destinado à Fundação Colecção Berardo, pois então!» Admito que sim, mas aí é que bate o ponto. O Governo optou, escolheu, decidiu; a escolha recaiu na colecção Berardo, o que me parece legítimo. Podemos discordar da escolha, mas não questionar a competência da Ministra por ter optado.
Quem poderá merecer crítica, apesar da competência que tem demonstrado ao longo da carreira, é o Dr. Mega Ferreira. Que fez ele, pergunto, para conseguir outras fontes de financiamento para a Festa da Música? Que fez ele para salvar o evento? Acaso procurou um mecenas privado (por exemplo, a Decca, a Deutsche Grammophon, a Phillips, a Naxos, a Myto Records, a EMI)? Como será que se financiam os festivais de Salzburg, de Aix-la-Chapelle, de Verona, de Bayreuth, de Glynndenbourne ou o Maggio Musicale Fiorentino? Por exclusivo recurso a verbas públicas? Não me parece!
Mais uma coisa: o fim da Festa da Música, evento menor e provinciano, de qualidade infra-europeia, não é caso para tanto ardor, nem é dano irreparável. Irreparável é o Arrau morrer sem gravar as polacas de Chopin! Festivais há muitos!

PBH disse...

Alguma vez foi o DRS à Festa da Música?
Sugere a demissão do Presidente do Conselho de Administração do CCB por incompetência? É que apesar do Curriculum Vitae do Dr. Mega Ferreira ser interessante, desde que entrou para o CCB, ainda não recebemos uma boa noticia que fosse.
Tenho pena, porque suspeito que assim seja, que o Dr. Mega Ferreira tenha trocado a inteligência e a competência por simpáticos favores ao Governo. Não é caso inédito em Portugal nem nas nomeações políticas, mas é triste tratando-se de um homem que até há pouco tempo era considerado de forma consensual.
A Sra. Ministra da Cultura se fosse competente, porque também não é, tinha exigido que o orçamento do seu ministério nao fosse reduzido para baixo dos 0,5% do total do OE.
Qualquer ministro com o minimo de digniade já se tinha demitido!
Não há milagres financeiros, tal como não há milagres políticos.A Sra. Pires de Lima não serve para o cargo! E isto não é obsessão, é realidade e é cansaço de tanta estupidez!

Anónimo disse...

A tia tem uma coisa super importante a dizer ao ti Mega Ferreira: Não se preocupe com isto porque o menino trás o Mega e o Ferreira que a tia faz uma festa e até, como maravilhosa dj que é, põe a musica!!! ouça... a tia dá muito mais que esses milhões todos que a P... ires de Lima não que dar!
Quanto a essa senhora: minha querida... não vê que com estas atitudes os seus capilares não crescem, oas seus "talas" não diminuem e continua a ter que jantar tardíssimo!?!?!? está bem que os bifes do São Bento são de alugar cadeiras mas acha que vale mesmo a pena??? vá, venha lá ter com a tia que a tia ajuda-a a arranjar uma muche bem maior que aquela em que a menina tem se esforçado arduamente, "pero" como diria a tia Letizia, sem grande resultado acertar!
beijinhos garndes

RMG disse...

Esta senhora preparava-se para conceder uma audiência àquele bando que se barricou no Rivoli. Ao que parece até poderia ter sido no próprio Rivoli no decorrer daquele folclore. Posto isto, acho que não vale a pena dizer muito mais sobre a senhora...

Anónimo disse...

Querido RMG...A tia está a pressentir com estes sentidos que a terra há-de devorar à tia num piscar de olhos um certo ressentimento em relação à tal senhora... serão bad memories...!? UH, a tia nem se atreve a imaginar tamanha e malígna insensatez da sua parte... ah... conte tudo à tia que a tia é a maior das pirâmides do Egipto que há em relação a segredos obscuros... ahahaha