31 janeiro 2008

Tiques republicanos

A charanga da GNR foi proibida de participar na evocação dos 100 anos do regicídio sob o pretexto de ser um acontecimento organizado por uma entidade privada (Fundação D. Manuel II). Recordo-me que desfilou na Avenida da Liberdade numa organização da estação de televisão privada SIC. Participou também em concursos hípicos da Sociedade Hípica Portuguesa que nada tem de estatal. Tiques republicanos de quem não cultiva a verdadeira essência da Liberdade e de quem tem muito preconceito acumulado. Republicanices...

3 comentários:

Demokrata disse...

Ora nem mais!

Pedro BH disse...

Seria curioso ter nas comemorações uma Guarda com tal nome a prestar homenagem às régias vitimas.
A verdade é que não fazem falta. Estarão presentes as Forças Armadas, através do Colégio Militar, da Força Aérea e do Exército.

Pedro BH disse...

Só hoje vi as declarações do Ministro, não da Administração Interna, mas da Defesa Nacional, sobre a não participação da Banda do Exército nas comemorações do Regicídio.
Diz Nuno Severiano Teixeira que não é suposto a Banda participar em eventos culturais desta natureza, que podem ter interpertações políticas diversas.
Não fossem as declarações infelizes e Nuno Severiano Teixeira um historiador com nome na praça, e eu diria que o ministro era tonto.
Assim sendo, resta-nos a opção «política» do governo de não permitir a participação da dita Banda nas comemorações do dia 1 de Fevereiro. A evocação da morte violenta e em praça pública de um ex-Chefe de Estado em Portugal deixou de ser matéria que importe ao Estado.O Estado é Republicano e por isso amoral.

Nestas ocasiões, o unico consolo que tenho é de pensar que daqui a 100 anos, nenhum português, excepto alguns vagos historiadores militares, saberão quem foi Nuno Severiano Teixeira...