05 junho 2007

Alea Jacta est...


As eleições para a CML aproximam-se. Os candidatos estão definidos desde hoje, com a entrega da última candidatura à edilidade.
Concorrem a estas eleições um número considerável de listas (12) o que é curioso, visto serem estas eleições intercalares. Nenhum partido quis ficar de fora ( CDS/PP, PPD/PSD, PS, CDU, BE, PPM, MPT, MRPP, PND, PNR,) e ainda dois movimentos de independentes - Helena Roseta e Carmona Rodrigues. Podemos dar-nos por felizes, no desejo de que todas estas candidaturas e candidatos produzam ideias e programas que beneficiem a cidade e os lisboetas. Bem precisamos de empenho e de ideias, seriedade e bom senso!
A pré-campanha, contudo, revela já algumas posturas pouco sérias e demasiado politiqueiras, quando aquilo de que necessitamos com urgência é de um debate político sério.
Telmo Correia avança em nome do CDS/PP com poucas possibilidades de ser eleito, assim como qualquer um dos pequenos partidos. CDS/PP e BE correm o risco de ficar de fora do próximo executivo. A quantidade de listas em disputa, nomeadamente as quatro do «Bloco Central» tornam muito dificil, senão emsmo impossível a eleição de vereadores dos partidos limitrofes. A ver vamos. Para já Telmo Correia tem feito uma campanha tranquila e sem grandes ataques pessoais, o que só lhe fica bem depois do CDS ter participado na gestão autárquica dos últimos dois anos. Já José Sá Fernades deveria ser mais discreto. A campanha de que o «Zé faz falta» conduz-me à interrogação: Faz falta a quem? Será que alguém se lembrará de perguntar ao antigo vereador sem pelouro porque necessitava ele de 11 assessores? O grande crítico das despesas da edilidade e dos erros de gestão é o mesmo que conduziu à paragem das obras do túnel do Marquês durante 3 anos, com custos de milhões de euros para a autarquia. Espero que alguém se lembre disto e sobretudo de pedir contas ao Zé!
A CDU mantém-se igual a si mesma. Pede tudo, exige tudo e não faz nada! A cassete do costume que não obriga a grandes raciocinios nem interrogações, quanto muito apenas algumas exclamações. Achava curioso que também a CDU não elegesse nenhum vereador. Seria inédito desde o 25 de Abril e um bom recado aos comunistas e à sua insistência em não adaptarem o discurso politico a 2007.
Fernando Negrão desilude. Homem respeitado e até agora inócuo, consensual no meio político, decidiu vestir a camisola que lhe mandaram. Acabou mal em Setúbal, onde depois de uma quase total ausência das reuniões de Câmara, deixou a cidade sem uma palavra aos seus eleitores, que foram bastantes! Chegou a Lisboa mal também. Atacou de forma vil o anterior Presidente Carmona Rodrigues, esquecendo-se o deputado de que o Partido e os vereadores que o acompanharam e elegeram, são os mesmos que agora lidera. Fica-lhe mal, muito mal. E fica mal também, que depois dessas cr´ticas violentas e sem sentido, inclua na sua lista dois antigos vereadores de Carmona, Lippari e António Prôa. Erro crasso que lhe valeu a quase desistência da sua mandatária Manuela Ferreira Leite, e a crítica generalizada dos comentadores da praça. Não vai longe!
Helena Roseta igual a si mesma, já falou na criação de um Comité de Salvação da Cidade. A romântica eterna julga que ainda estamos no PREC. Ao menos é sincera e sobretudo tem feito uma campanha limpa, sem ataques pessoais e apresentando propostas. Disparatadas algumas, mas ainda assim!
António Costa está em grande. As sondagens dão-lhe a vitória certa. Até agora nada de novo. Nem mesmo relativamente à OTA. Quando todos os candidatos clamam pela manutenção da Portela, Costa defende o seu desaparecimento. Vamos ver que resultado lhe traz a defesa dos interesses do governo central que acabou de abandonar. Foi para isso que o fizeram candidato, afinal João Soares era contra a OTA e por isso ficou em casa...Ota e Lei da administração local prometem ser os seus dois calcanhares de Aquiles...
Por fim Carmona Rodrigues, o último a entrar na corrida, mas de quem se espera ouvir quase tudo nesta campanha. Tem estado bem. Sem criticas pessoais, sem cartazes, sem marketing. A campanha invisivel, que é também inédita e curiosa,mas que é capaz de dar frutos. Mesmo com o total abandono do PSD conseguiu manter o seu núcleo de apoio e apresentou a sua lista apoiada, tal como há dois anos por um número significativo de artistas e intelectuais da cidade. Anda pelas ruas a falar com as pessoas. E as pessoas têm gostado...
A sorte está lançada. Que vença o melhor e sobretudo que ganhe Lisboa.
A campanha promete. Há muito que não se via uma disputa deste calibre à Capital
Aguardemos!


3 comentários:

marcela disse...

NO TIENE NADA QUE VER CON LO QUE ESCRIBISTE.(Aviso para que no me critiquen) Pero como andamos de latin en latin (yo al menos) ¿te fijaste que en la serie Roma, cuando Cesar cruza el Rubicon, no dice esta frase?

si, comentario fuera de lugar, pero es que ando con el pacta sunt servanda, ius cogens, erga omnes y el ex iniuria ius oritur para arriba y para abajo. Y justo pensaba titular la tesis como Alea jacta est :)

PBH disse...

Cara Marcela

Fico contente por si. Se a apresentação da sua tese de Doutoramento significa para si uma passagem do Rubicão, pois bem, parece-me uma boa escolha.

Nem Caio Júlio diz essa frase, na série que referiu, nem uma outra, igualmente famosa e que implicava Bruto na sua morte no Senado.

Já a mesma poderia ter sido proferida pelo Prof. Carmona quando contra si se viraram os vereadores do PSD na Camâra de Lisboa!« Também tu Mendes, Amaral Lopes, Lipari, Prôa, Teixeira da Cruzzz, ..., ...,...,...»

marcela disse...

sigue sin tener que ver, pero MIRA QUE NOS FIJAMOS EN LO MISMO!!! ¿como no dice Tu quoque Brute, fili mi? es como marca registrada. Haste en Asterix (Obelix y compañia) Cesar le dice al tipo ese que quiere vender los mehires esas frases, cuando el otro le dice si vi pacem... y Cesar le replica que el de las frases historicas es él. Por eso la serie Roma me desiluciono, que si no fuera por los legionarios habria sido una peli de Playboy.

¿Qué paso con la marcha contra el gobierno socialista? Aca en Madrid hablaron de eso, que habria en Portugal una marcha de protesta contra el gobierno socialista. Pero despues se pusieron con lo de la Cecilia Bolocco y su desnudo y ya no me entere si hubo o no.