14 abril 2007

O Governo da mentira...

Não é meu hábito reproduzir posts de outros blogues aqui. Mas desta vez vai ter que ser. Vale a pena.

A minha alma está parva!...

Como ando com as leituras atrasadas, só agora li no último Expresso que, de acordo com informações prestadas pelo próprio Ministério das Finanças, as “receitas extraordinárias” de 2006 ascenderam a mais de 2.121 milhões de euros, a saber: antecipação de impostos sobre o tabaco(300 milhões), vendas de património(439 milhões), dividendos extraordinários e antecipados(REN-60 milhões), dividendos extraordinários (GALP-124 milhões), recuperações de créditos líquidas de adicionais da operação de titularização(1.198 milhões). Estas receitas extraordinárias equivalem a 1,4% do PIB!...Não fossem essas receitas extraordinárias, que Sócrates e os Socialistas tanto criticaram a Manuela Ferreira Leite, e o défice de 2006 seria 8.176 milhões de euros, correspondentes não a 3,9%, mas a 5,3% do PIB. Este valor é superior ao valor apurado para 2004, era Bagão Félix Ministro das Finanças, que foi de 5,2% (2,9% com receitas extraordinárias)!...Perante este quadro, e por muito que custe à propaganda e comentadores oficiais, conclui-se que não melhorámos nada em relação a 2004, o que até a mim me espantou, e que o progresso no défice não se deveu à contenção da despesa.A segunda conclusão, já a sabia; quanto à primeira, a minha alma ficou parva!...

2 comentários:

marcela disse...

RMG, la palabra "extraordinario" cuando se habla de presupuesto, de cualquier presupuesto, siempre me da escalofrios, porque nunca la he visto asociada a algo bueno

Paparazzi disse...

bom blog...

visita tb

www.revistaaz.blogspot.com